Geral

De repente, uma barra de chocolate já não ameniza a tristeza

Seja da cozinha da avó ou da padaria da esquina, aquele cheirinho de pão fresco no meio da tarde ou de um bolo de fubá recém-saído do forno é capaz de abrir o apetite de qualquer um. Comer é prazeroso não apenas para matar a fome, mas para curtir com os amigos, ver um filme ou, simplesmente, comer. Há, porém, um problema: o processo que envolve nossa alimentação é muito mais complexo do que se imagina e, quando afetado por uma doença psiquiátrica, pode ser seriamente comprometido.
Alex Trombetta